sexta-feira, 7 de junho de 2019


“ASSIM QUE LUTO MINHAS GUERRAS...”

Nos últimos dias tenho pensando um pouco sobre este tema e, confesso que isso tem me alertado insistentemente sobre a direção que tenho dado para a minha vida, família e ministério. Erwin Raphael Mcmanus em seu Livro “A Última Flecha” afirma que:

“Você pode estar fazendo coisas hoje das quais precisava ter desistido ontem. Nada pode haver de pior que vencer uma batalha que você nunca deveria ter lutado”

Jamais poderíamos nos contentar com a mesmice, com a repetição de forma geral, com a mediocridade, mas, ser mediano-medíocre muitas vezes nos conduz à um tempo ou momento de segurança, conforto, garantias, responsabilidades e, invariavelmente abdicamos da nossa liberdade!

Tenho medo de que muitas vezes nosso futuro seja apenas e tão somente a extensão do nosso passado. Não podemos nos acomodar com o que Deus pretende fazer em nossas vidas, mas, precisamos nos lembrar e agir de tal modo que fique marcado em nós o fato de nosso Deus realiza o extraordinário através de pessoas simples, comuns, normais!

“A morte é mais universal que a vida; todo mundo morre, mas nem todo mundo vive”
(
Alan Sachs – Doutor em Bio-Medicina)

         Há algo em meu coração que alegra muito: o fato de que nosso Deus planejou cuidadosamente este dia, mesmo quando ele ainda nem mesmo existia, sonhou e preparou este momento para que nós pudéssemos nos achegar mais perto do centro de sua vontade para nossas vidas:

“Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir”. (Salmo 139.16).

“Pois quem sabe o que é bom para o homem durante os poucos dias da sua vida de vaidade, os quais gasta como sombra? Quem pode declarar ao homem o que será depois debaixo do sol?”
(Eclesiastes 6.12)

            Por que estamos no mundo? – Nossa vida na terra tem duas características que independem de raça, condição social, cultural ou qualquer outro fator limitador ou condicionante. São duas realidades que marcam a nossa existência sobre a face da terra: NOSSA VIDA É AO MESMO TEMPO ÚNICA e BREVE.

         Todo e qualquer indivíduo tem sua vida dirigida por algo: O que você tem feito com a sua vida? – Qual direção você tem dado a ela? Saiba que seus dias estão passando, bem mais rápido do que você gostaria!

“O homem sem propósitos é como um barco sem leme — um vira-lata, um nada, um ninguém” (Thomas Carlyle)

NOSSO TEMPO NA TERRA é LIMITADO: É evidente que uma das habilidades mais variadas e verdadeiras das pessoas que ao longo dos tempos maximizam sua capacidade, marcaram a sua geração e aperfeiçoaram o seu impacto no mundo é que elas sabiam que batalhas não deveriam lutar! - Este entendimento tem a capacidade de gerar um senso intenso e abençoado de AUTENTICIDADE E OUSADIA.

Como o salmista, que esta seja a nossa oração constante:

“Ensina-nos a contar os nossos dias, para que o nosso coração alcance sabedoria”
(
Salmo 90.12)

Nenhum comentário:

Postar um comentário